domingo, 14 de novembro de 2010

Ele e ela.

Ela acorda cedo e vai procurando o relógio adiantado,
ele está indo dormir, depois de ter passado a noite em claro, é claro
ela se arruma depressa, com medo do relógio,
ele fica sonhando com que ela está fazendo
ou o que eles poderiam fazer.

Ela diz que não gosta da escola
e das pessoas que ficam por lá
ela diz isso sempre pra ele
e ele compreende, sem entender.

Ele e ela conversam tanto
sobre tantas coisas
e eles reclamam de tudo
e eles sempre acabam se entendendo.

Ele está com saudades e vive dizendo,
e sente que ela também está,
mas ela diz que não,
e ele fica preocupado se vai chover.

Ela fica irritada, por qualquer coisa
ele tenta entender,
ela coloca suas músicas no último volume
as músicas que ele gostava
e ele escuta músicas que não são da sua cara
e ele até tenta cantá-las
e todos acham estranho,
mas ele não liga.

Ele fica olhando o telefone,
como se pedisse e insistisse para que tocasse
e ele fica imaginando se ela faz o mesmo
ele pensa em ligar,
mas ele sempre acaba desistindo.

Hoje ele está chateado,
ontem foi a vez dela,
ele fica esperando o conforto dela
e sempre funciona.

Ele fica escrevendo,
ela diz que gosta de ler,
ele fica esperando motivação pra escrever,
porque ele vive escrevendo dela,
sem ninguém perceber.

Ela diz que tem medo
ele acha que também
e eles contam suas histórias tristes
de falsos personagens.

Eles são tão parecidos
e tem tantos gostos em comum
e são tão diferentes
seus conceitos se esbarram constantemente
são complicados
tão complicados...
e insistentes.

Ele e ela já tiveram tantas histórias
com tão pouco conteúdo
ele até brinca e diz,
poderia escrever sobre nós e sorri.

Ele nunca fora grande coisa
ela quis porque quis abrir os olhos dele
agora ela fica pensando,
se fez a coisa certa.

Ele e ela,
se odeiam tanto,
se conhecem tanto,
se entendem tanto.

Ele é tão romântico
sempre diz da beleza dela
e vive dizendo que foi feito pra ela
e que ela era tudo que ele queria.

Ela é tão carinhosa
- a cada ano bissexto -
o que faz com o nada que ela disse
se torne tanto.

Ele lembra dela a cada segundo
e ela diz que é por causa da sua beleza
ele acha que não é só isso
e ele acha que ela também o vê
todas as vezes que ela fecha os olhos.

Eles sempre se preocupam tanto
e um se apoia no outro
e ela diz pra ele não voltar tarde
e tomar cuidado.

Ele gosta dela
e diz que eles tem algo único
ela não sabe, apenas deixa acontecer.

Ele sempre foi a razão
e ela as vezes reclama
ela tenta consertá-lo a toda hora.

Ele fica pensando se a ama
e fica pensando e repensando
ela ainda não sabe.

Eu não sei... apenas assisto
e sem saber o que dizer, apenas reflito...
você pode me dizer?

Tsc...
E quem um dia irá dizer?

Só queria saber...
quero tantas coisas impossíveis,
dizer ou pedir não vai adiantar...
que seja,
eu sei, eu sei, vou esperar e torcer, afinal,
amo finais felizes...
você não?

2 comentários:

  1. Pois eu já vejo logo um final triste '-'
    Duma garota que não ama, e um garoto que tenta amar pelos dois.


    PERDÃO, mas não tive como não rir:
    " Ela é tão carinhosa
    - a cada ano bissexto - "

    Seria cômico se não fosse trágico.

    ResponderExcluir
  2. Leio esse texto pelo menos uma vez por ano.
    Muito bom.
    :)

    ResponderExcluir